Acácia Lima | O olhar da Somos Mães

Escola ou babá?

Estímulos adequados e custos, saiba o que ponderar no momento da escolha

Publicado em 17/04/2018

Acácia Lima

Acácia Lima - O olhar da Somos Mães

Colunista
compartilhamento:
  • Compartilhar no Facebook
  • Twittar
  • Compartilhar no Google Plus
Escola ou babá?

Uma das preocupações mais frequentes que tomam conta das mães e pais de primeira viagem é a escolha entre escola ou babá. A dúvida se estende também quando se tem a opção de deixar o filho aos cuidados de um parente, muitas vezes com a avó.

 

Minha opção pessoal sempre foi a escola e, com a ajuda da Carolina Martins Pereira, pedagoga e diretora da escola infantil Baby Home, organizei 5 ítens que facilitam na escolha:

 

1. Normalmente, todos os funcionários de escola infantil possuem formação na área educacional, o que nem sempre ocorre na contratação de uma babá. Além disso, a maioria das escolas oferece aulas de musicalização, inglês, natação, capoeira, ballet, além do acompanhamento de fisioterapeuta e nutricionista. Por isso, a criança está cercada de profissionais especializados em cada área do desenvolvimento.

 

2. Os espaços são projetados exclusivamente para as crianças de cada faixa etária, garantindo maior segurança, conforto e diversão; diferente da nossa casa, ou da casa da avó, onde normalmente ficamos sempre muito preocupados com as quinas e objetos que podem machucar o bebê e a criança.

 

3. Criança precisa de crianças. A socialização é um dos fatores de maior importância no desenvolvimento infantil. Acelera a comunicação e o desenvolvimento motor. A troca de vínculos estimula a empatia e a flexibilidade. Quanto mais cedo desenvolvemos estas características, aumentam-se as chances de melhores resultados emocionais, familiares, sociais e, posteriormente, acadêmicos e profissionais durante toda a vida.

 

4. Na escola, os materiais pedagógicos são específicos para cada faixa etária, desenvolvendo o interesse pelo conhecimento de forma prazerosa. Além disso, quanto mais cedo ocorrer o contato com outro idioma, no caso das escolas bilíngues, maiores as chances da criança tornar-se fluente.

 

5. Ao comparar os custos, alguns pais não consideram o transporte, alimentação, férias, horas extras, décimo terceiro, tributos e eventual risco trabalhista na contratação de uma babá. Gastos com educação de dependentes são dedutíveis do Imposto de Renda, o que não ocorre na contratação de babás. Além disso, imprevistos podem ocorrer de uma hora para outra com uma babá, risco este inexistente ao contratar uma escola, que estará sempre aberta.

 

Como mãe, reparo muito no comportamento das babás quando estamos em parques infantis. O que vejo, infelizmente, é um grupo de babás conversando entre si, ou no celular, enquanto as crianças estão brincando sem supervisão de um adulto. 

 

Contra as escolas, muitos pais consideram a questão das doenças, especialmente as gripes e viroses. Pelo minha experiência, crianças com baixa imunidade estão mais sujeitas a vírus independentemente de estarem na escola ou não. 

 

A escolha da escola é um capítulo a parte, pois diversos aspectos devem ser levados em conta. Sobre isso falaremos no próximo texto, acompanhem :-)

compartilhamento:
  • Compartilhar no Facebook
  • Twittar
  • Compartilhar no Google Plus

Sobre o colunista

Acácia Lima

Acácia Lima era empresária de comunicação. Abandonou a carreira de 20 anos e criou a Somos Mães de Primeira Viagem depois que a filha Mariana nasceu. Para Acácia, a Somos Mães é mais do que um trabalho, é a causa que trouxe propósito à sua vida.