Dayse Cristina Oliveira Melo | Amamentação e Sono

Excesso de leite ou leite empedrado

Ingurgitamento mamário é comum no início do processo da amamentação

Publicado em 02/03/2018

Dayse Cristina Oliveira Melo

Dayse Cristina Oliveira Melo - Amamentação e Sono

Colunista
compartilhamento:
  • Compartilhar no Facebook
  • Twittar
  • Compartilhar no Google Plus
Excesso de leite ou leite empedrado

Geralmente passados 3 a 4 dias do parto, as mães apresentam a sensação de distensão dos seios. Trata-se um edema obstrutivo chamado “apojadura”, a primeira descida do leite.

 

O ingurgitamento é uma obstrução excessiva e temporária que pode ocasionar dificuldade para o bebê mamar. Os seios ficam quentes e endurecidos. A mãe pode apresentar uma pequena febre. Embora o ingurgitamento possa ocorrer em qualquer fase da amamentação, é mais comum que ocorra nos primeiros dias do processo.

 

Um dos desafios das mães dos recém-nascidos é mantê-los acordados para mamarem. Bebês recém-nascidos dormem muito e tem dificuldade de serem despertados. Muito importante o estímulo para acordarem e mamarem afinal, a cada mamada, eles melhoram sua eficiência de sucção e deglutição e trabalham a descida e produção do leite. Assim, desde o primeiro instante de vida é importante que o bebê tenha contato com o seio da mãe, chamada “Hora de Ouro”, garantindo, desde logo, a produção de hormônios responsáveis pela produção e ejeção do leite materno. O alojamento conjunto também é importante para facilitar o acesso da mãe ao bebê, possibilitando maior oferta do seio.

 

E, justamente quando ocorre a descida do leite (ingurgitamento) que o bebê deve ser despertado para mamar com mais frequência.

 

Algumas técnicas contribuem para a oferta da mama neste processo:

 

- quando a aréola estiver muito dura e rígida, uma massagem e extração manual poderão deixá-la mais maleável, facilitando um pouco a pega correta do bebê e a drenagem do leite;

 

- assegurar a mãe de que o processo de ingurgitamento é positivo, um bom sinal para a produção de leite;

 

- medicação deve ser prescrita apenas por médico que avaliará o caso fazendo uma anamnese precisa;

 

- jamais use água morna ou quente sobre os seios nessa fase, pois isso aumenta a produção de leite e piora o quadro.

 

Um acompanhamento especializado pode direcionar a mãe em todas as situações que envolvem um processo natural, porém complexo, como o de amamentação.

 

Preparar-se para o Aleitamento Materno envolve obter informações. Assim, quando você, mamãe, estiver com o seu bebezinho nos braços, saberá conduzir com mais tranquilidade e segurança todo o processo.

 

Amamente!

compartilhamento:
  • Compartilhar no Facebook
  • Twittar
  • Compartilhar no Google Plus

Sobre o colunista

Dayse Cristina Oliveira Melo

Consultora Materna Especialista em Aleitamento Materno
Consultora do Sono Infantil 
Proprietária da A Mamãe Nasceu Assessoria
Mãe do Henri e esposa do Carlos