Fga. Haydée B. L. Zamperlini | Fonoaudióloga

Como estimular a fala e linguagem do bebê de 6 a 12 meses

Atividades diárias promovem o aprendizado

Publicado em 30/03/2018

Fga. Haydée B. L. Zamperlini

Fga. Haydée B. L. Zamperlini - Fonoaudióloga

Colunista
compartilhamento:
  • Compartilhar no Facebook
  • Twittar
  • Compartilhar no Google Plus
Como estimular a fala e linguagem  do bebê de 6 a 12 meses

Os estímulos dirigidos a bebês devem ser gradativos, em ordem crescente e sempre aumentando o grau de dificuldade com o passar dos meses. Posteriormente falarei dos estímulos para bebês de 1  a 2 anos.

 

Primeiramente programe-se para dedicar de 20 a 30 minutos em casa. Organize um espaço em sua casa com um tapete, edredom onde vocês (mãe, pai e bebê) possam ficar deitados observando os sons, ruídos ao redor. Bata palmas, peça para alguém bater a porta, tocar a campainha. Chame atenção para estes sons. Enfatize: "olha a porta", "ela bateu", "quem é está batendo na porta?". Toca o telefone : "Alô! Quem é?"

 

Nomeie a criança, como : "Quer falar com o Matheus?" (nome do seu filho). "Quer falar com a Mariana?"

 

Passa um carro, chame atenção: "Olha o barulho! É o carro? A moto?" Pode também pegar um carrinho e fazer o barulho (som).

 

Treinar habilidade de discriminação auditiva:

 

- batida de porta;

 

- barulho do avião;

 

- latido do cachorro;

 

- miado do gato;

 

- canto do galo;

 

- barulho da chuva.

 

Estimule quente e frio.

 

Fale sobre as partes do corpo: cabeça, olho, nariz, boca, orelha. Depois braços, pernas, pés e mãos. Pode aproveitar a hora do banho para lavar e nomear. O mesmo faça na hora de secar com a toalha. Nesta fase a criança já reconhece mão e pé. "Hoje está frio! Vamos por a blusa,o casaco para ficar quentinho!"

 

Nomeie as peças de roupa: casacos, luvas, meias, calça.

 

Se atividade for fora de casa como um parque, seja breve, não esqueça que o tempo do seu filho é diferente do tempo de um adulto. Separe de 30 a 40 minutos, as atividades ao ar livre cansam. Em parques, observe as plantas, flores, o céu, pássaros, sempre nomeando.

 

Se esta atividade anteceder a uma refeição, termine nela iniciando o preparo, nomeando os alimentos.

 

Se a proposta é ir ao supermercado ou feiras livres, as seções de frutas, verduras e legumes são muito atrativas. Realize compras rápidas e nomeie todos alimentos comprados que fazem parte da alimentação do seu bebê. Normalmente eles apreciam muito por serem coloridos.

 

Shoppings não são recomendados para bebês nesta faixa etária, os estímulos são apenas de luzes. Os tabletes podem ter filmes e figuras mas apenas os movimentos são observados a fala e ruido são confusos para os pequenos.

 

O  bebê nesta faixa etária não se prende em atividades por muito tempo, mas entende e armazena. Ele se cansa com facilidade, tem sua rotina de sono e alimentação. Não quebre esta rotina porque não será proveitoso para nenhuma atividade.

  

"Ah! Meu filho não entende, ele não fala, não repete." O bebê está armazenando e estruturando esta fala e linguagem e necessita deste estímulo diário.

 

Através destas atividades propostas vocês, pais, perceberão a discriminação e atenção do seu filho para cada estímulo. Caso ele não esteja reagindo aos sons e balbuciando na tentativa da imitação procure um Fonoaudiólogo ou orientação do seu Pediatra.

 

Participe do Curso de Desenvolvimento Infantil que acontecerá dia 07 de abril, onde esse tema será abordado e saiba mais sobre como propiciar o aprendizado do seu filho.

compartilhamento:
  • Compartilhar no Facebook
  • Twittar
  • Compartilhar no Google Plus

Sobre o colunista

Fga. Haydée B. L. Zamperlini

CRFa. 2 - 3468
 

Especialista em Audiologia pelo Conselho Federal de Fonoaudiologia

Especialista em Motricidade Orofacial  pelo Conselho Federal de Fonoaudiologia
Mestre em Distúrbios da Comunicação- Pontifícia Universidade  Católica de São Paulo  -  PUC-SP



Fonoaudióloga Clínica

Assessoria  Escolar