Grávidas | NOTÍCIA

Nitrato de prata no momento do nascimento: precisa mesmo?

Pré-natal cuidadoso pode evitar o colírio no recém-nascido

Publicado em 02/05/2018

compartilhamento:
  • Compartilhar no Facebook
  • Twittar
  • Compartilhar no Google Plus

Nitrato de prata no momento do nascimento: precisa mesmo?

Pingar a solução de nitrato de prata nos olhos do recém-nascido é lei em nosso país desde 1977.

 

A intenção é a prevenção da conjuntivite gonocócica em recém-nascidos que podem adquirir a bactéria gonococo pelo contato vaginal ao nascer e desenvolver até mesmo uma cegueira.

 

País de terceiro mundo e com baixa qualidade nos pré-natais na população carente, o Brasil aplica a lei mesmo em cesáreas, independentemente se a bolsa estiver rota ou não.

 

A discussão gera polêmica, pois a solução de nitrato de prata provoca nos bebês ardor e desconforto nos dias subsequentes, conhecido como conjuntivite química.

 

Segundo o Dr. Thiago Caldi, pediatra palestrante em nosso Curso para Gestantes, essa questão pode ser resolvida com um pré-natal cuidadoso, realizando-se o exame de pesquisa de gonococo na secreção vaginal, e com um plano de parto específico.

 

Dr. Thiago explica que a lei atende uma necessidade social em que gestantes em situação de despreparo pré-natal precisam desse tipo de prevenção, mas que pacientes bem assistidas, e não infectadas, podem recusar o procedimento assinando um termo de responsabilidade emitido pelo próprio hospital.

compartilhamento:
  • Compartilhar no Facebook
  • Twittar
  • Compartilhar no Google Plus