Grávidas | NOTÍCIA

Você conhece o trabalho da doula?

Proteger a parturiente e o bebê são fundamentais no exercício da doulagem

Publicado em 23/03/2018

compartilhamento:
  • Compartilhar no Facebook
  • Twittar
  • Compartilhar no Google Plus

Você conhece o trabalho da doula?
Nosso função, como canal seguro, profissional e de qualidade, é informar e oferecer a todas as gestantes e familiares instrumentos atualizados para que possam fazer as melhores escolhas durante o período que abrange desde a tentativa de engravidar até o final da primeira infância.
 
 
No artigo de hoje falaremos sobre o trabalho de parto humanizado para comemorar a semana do dia 22 de março, que lembra e enaltece o trabalho das doulas.
 
 
Visto com medo, e até certo horror, o trabalho de parto normal, quando desumanizado, causa traumas e, consequentemente, uma enorme aversão ao que deveria ser encarado como o processo de nascimento natural.
 
 
Cercado de profissionais desinformados acerca do que é normal, o trabalho de parto vaginal é, muitas vezes, um verdadeiro circo de erros abomináveis. Dessa forma, muitas gestantes encaram a cesárea como única salvação para livrarem-se desse martírio.
 
 
Da necessidade de trazer mais segurança e apoio a esse momento tão mágico e sublime que é o nascimento de um filho surgiu a doula. "Mulher que serve", esse é o significado da palavra doula em grego. Essa profissional, normalmente formada em cursos específicos para doulagem, é a pessoa que vai acolher e apoiar a parturiente (mulher em trabalho de parto).
 

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde),  "o apoio físico e empático contínuo oferecido por uma única pessoa durante o trabalho de parto traz muitos benefícios, incluindo um trabalho de parto mais curto, um volume significativamente menor de medicações e analgesia epidural, menos escores de Apgar abaixo de 7 e menos partos operatórios (cesáreas)." 
 
 
Às vezes discriminado por profissionais de saúde por falta de conhecimento, o trabalho da doula  aumenta a satisfação com a experiência de parto, uma vez que a parturiente se sente mais segura e incentivada na jornada única que é parir.
 
 
Pesquisadores e autores de livros sobre o vínculo mãe-bebê e criação com apego, Klaus e Kennel publicaram em 1993 um estudo chamado  “Mothering the mother“ (Cuidando da mãe, em tradução livre), em que apontam uma redução de 40% no uso de ocitocina e também redução de 40% no uso de fórceps nos partos com a presença da doula. O trabalho da doula também é responsável pelo aumento da taxa de sucesso da amamentação e também na queda de índices da depressão pós-parto.
 
 
Conversamos com a Kátia Cilene, doula que participa do Curso para Gestante SMPV, para saber um pouquinho mais sobre sua rotina profissional. Acompanhe:
 
 
SMPV: Katia, o que te motivou a escolher o trabalho de doula?

 

Katia: Descobrir que eu poderia ter vivido a experiência de parir meus filhos e por falta de informação caí em cesáreas completamente desnecessárias. Tiraram de mim o direito de parir e dos meus filhos o direito de avisarem que estavam prontos para nascer!

 

SMPV: Quais são suas principais alegrias durante o exercício da doulagem?

       

Katia: Ver o casal experimentando juntos cada fase do trabalho de parto, se tornando ainda mais cúmplices e unidos, ver a mulher superando seus medos, anseios e inseguranças e descobrindo nela uma força jamais experimentada antes. Seus olhos brilham, seu corpo fala o que a alma grita, e aos poucos vemos uma menina frágil se transformar em uma mulher forte, destemida e transformada

 

SMPV: Quais as maiores dificuldades que você encontra durante seu trabalho?

 

Katia: A falta de informação dos próprios profissionais da saúde sobre a importância do meu trabalho como parte de uma equipe multidisciplinar (acham desnecessário a mulher receber apoio físico e emocional nesta nora, porque acreditam que nesta hora elas não tem direitos). Lutar contra as violências obstétricas é desafiador porque ela acontece de maneira rotineira e habitual dentro das instituições, e parte do meu trabalho é ajudar a mulher a lutar por seus direitos e denunciar tais atos, por isso muitos nos veem como inimigas.

 

SMPV: Que mensagem você gostaria de deixar para as gestantes que nos acompanham?

 

Katia: Não tenham medo da dor do parto, ao contrário de todas as outras dores, ela anuncia a vida! A dor do parto é a dor do Amor na sua mais perfeita forma e sentido! Permita-se experimentar a maior e mais emocionante de todas as aventuras. A partir dela você descobrirá que é infinitamente mais forte do que imagina e infinitamente mais capaz do que pensa.

 

Entre em contato com a Katia pelo nstagram: @doulakatiacilene

 

a foto que ilustra a matéria foi cedida pela Katia

 
compartilhamento:
  • Compartilhar no Facebook
  • Twittar
  • Compartilhar no Google Plus